Crónicas de Taiwan - Relatos do 63rd IPSF World Congress

A minha participação no 63º Congresso Mundial de Estudantes de Farmácia da IPSF surgiu um pouco de forma inesperada, uma vez que foi o prémio que distinguiu o vencedor do XIX Concurso de Aconselhamento ao Doente (CAD). Confesso que, no momento, não tinha pensado na possibilidade de ser premiada, pelo que fiquei bastante surpreendida. Na altura o importante não era o prémio, mas sim uma boa participação, a aprendizagem e a experiência que daí ficaria. Mas a maior e memorável experiência surgiu depois! O prémio! Seria o primeiro congresso fora de Portugal, e da Europa, a primeira atividade Internacional em que participaria. Não sabia como iria decorrer, apenas sabia que se iria realizar em Taiwan, literalmente, no outro lado do mundo, durante 10 dias, e que teria a responsabilidade de participar no Patient Counseling Event (PCE) que decorreria durante o Congresso, representando assim Portugal. Consciente da importância e valor deste prémio, assim aceitei o desafio que me tinha sido concedido.

Estes 10 dias foram recheados diversos programas Educacionais, Sociais e Culturais. Pude participar num vasto leque de workshops desde as temáticas de Farmacoeconomia e Gestão, passando pelos Cuidados Farmacêuticos até à Medicina Tradicional Chinesa dirigidos por profissionais de vários pontos do mundo. Visitei uma empresa de Indústria Farmacêutica, a TTY BioPharma Company Limited que têm como principal ramo de mercado medicamentos da área da Oncologia, bem como os Serviços Farmacêuticos do Hospital Taipei Medical University. Locais onde fomos recebidos com uma simpatia e disponibilidade imensurável e onde podemos conhecer um pouco da realidade local destas duas importantes áreas do sector Farmacêutico.

Dois dos dias foram também reservados ao Simpósio Educacional e Cientifico na qual foram apresentadas importantes e atuais temáticas por oradores especialistas nos temas. A minha participação no concurso PCE foi outra das atividades deste Congresso que me enriqueceu bastante uma vez que confrontei-me com a necessidade de adaptar a minha prestação a um modelo transversal aos concorrentes dos vários pontos do mundo e ao mesmo tempo sem deixar desvanecer a essência do Farmacêutico em Portugal. Outro dia foi dedicado à Campanha de Saúde Pública por nós organizada em parceria com outras entidades locais alusiva a várias temáticas (cessação tabágica, abuso de drogas, estilos de vida saudável, prevenção de doenças infecciosas e deteção precoce do cancro), na qual fomos desafiados, em pleno domingo, na zona comercial, a abordar a população sensibilizando-a para estas temáticas.

Em termos Sociais e Culturais, tivemos a Taiwanese Night, na qual, por um lado, podemos presenciar performances tradicionais bem como degustar pratos típicos do país, e por outro lado, participar na International Night em que os participantes de cada país partilharam uma performance local, pratos e bebidas típicas do seu país. A seu tempo tivemos ainda uma Fun Run, Auction Night, Pool Party, BBQ Dinner Party e a Gala Night.

Terminados estes dias de Congresso, embarquei em mais 7 dias de Post Congress Tour (PCT) pelo país na qual podemos conhecer um pouco de cada região desde os costumes dos povos aborígenes, parques naturais, mercados noturnos, atividades aquáticas e tradicionais.

A participação neste Congresso e PCT foi sem dúvida uma experiência incrível que certamente marcará o meu percurso enquanto estudante de Ciências Farmacêuticas. Permitiu-me ter uma perspetiva do ensino e profissão farmacêutica mais global e ao mesmo tempo conhecer costumes e tradições bastante diversos. No fim de tudo, apenas lamento por estar agora a terminar o meu 5º ano do MICF e só agora aventurar-me nestas tão importantes e enriquecedoras experiências não só como estudante mas também como futura profissional e a nível pessoal. São sem dúvida experiências que repetiria e que aconselho a todos os colegas e amigos. Com a mente aberta, arrisquem e não receiem o que não conhecem, são estas experiências que nos acrescentam mais!

Cláudia Sofia Mestre Viegas

Estudante da Universidade do Algarve