Contacte-nos

A APEF tem a sua sede social na Rua António Cândido número 154, 4200-074 Porto.

Para nos contactar utilize o formulário à direita ou remeta a sua correspondência online para o seguinte e-mail: apef@apef.pt

Para mais informações, consulte a página Quem Somos.

Caso queira contactar um departamento/membro do executivo/outro Órgão Social em particular, consulte a página Órgãos Sociais.

Nome *
Nome

Rua António Cândido, 154
4200-074 Porto
Portugal

A Associação Portuguesa de Estudantes de Farmácia, adiante designada por APEF é uma associação sem fins lucrativos, representativa dos interesses dos Estudantes do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas (MICF), representados pelas suas Associações/Núcleos de Estudantes Membros efectivos da APEF.

Irlanda

Cristiana_martinho_2.jpg

Nome : Cristiana Martinho

Profissão : Process Development Engineer na Mylan

País : Irlanda

“Entrei em Ciências Farmacêuticas em 2010 e conclui o mestrado em 2015, tendo sido durante estes anos membro ativo da Phartuna -Tuna de Farmácia de Coimbra, da qual fui Vice-Presidente durante dois anos. No 5º ano fiz Erasmus de Estágio em Viena em Farmácia Hospitalar, o que me abriu a mente para toda a dinâmica de viver fora do meu país e longe da família e amigos.

    Atualmente trabalho como Process Development Engineer na Mylan e o meu cargo está relacionado com o controlo do fabrico de formas orais sólidas, sendo supervisora da linha de produção a nível técnico. O meu dia-a-dia passa por uma primeira reunião, onde me fazem o briefing do que está de momento a ser produzido e também se existe algum problema que necessita da nossa avaliação. Durante o resto do dia dedico-me a validação dos 180 produtos genéricos que a fábrica produz, bem como à redação de documentos justificativos de algumas mudança ao DCM do medicamento a nível regulamentar - quer seja a dureza do medicamento, peso, modo de fabrico, morada do titular de AIM, mudança do produtor de substância ativa. Alguns dias trabalho também em desenvolvimento piloto de diferentes fórmulas farmacêuticas que a empresa desenvolve para mitigar problemas que vão surgindo, que terão de seguida que ser também justificados e reportados. 

    Creio que um conjunto de fatores fez com que chegasse aqui, tanto os conhecimentos que o nosso curso nos fornece ao nível das tecnologias farmacêuticas e assuntos regulamentares, mas também a diversidade de atividades extracurriculares que fui exercendo desde adolescente - desde voluntariado e intercâmbios. Este tipo de atividades são muito valorizadas por serem ferramentas de desenvolvimento pessoal.

    Aconselho a que não tenham medo de arriscar, de mandar currículos para cargos altos ou até mesmo para cargos ligeiramente ao lado do que procuram: o primeiro emprego é só uma ferramenta que nos abre outras portas, não o sítio onde vamos/devemos ficar para sempre!!