Perspetiva História

A primeira farmácia hospitalar tem registo no mundo por volta da metade do século XVIII. Tiveram as suas primeiras instalações em Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Militares, onde o farmacêutico manipulava os medicamentos dispensados aos pacientes internados, obtidos de um ervanário do próprio hospital.

Contudo, dada a industrialização do medicamento, hoje em dia, os Serviços Farmacêuticos Hospitalares (SFH) tomam outras proporções.

 

A Profissão

São várias as funções dos SFH, nas quais se vê:

  • Seleção e aquisição de medicamentos, produtos farmacêuticos e dispositivos médicos;

  • Aprovisionamento, armazenamento e distribuição dos medicamentos;

  • Produção de medicamentos;

  • Análise de matérias primas e produtos acabados;

  • Participação em Comissões Técnicas (Farmácia e Terapêutica, Infeção Hospitalar, Higiene e outras);

  • Farmácia Clínica, Farmacocinética, Farmacovigilância e a prestação de Cuidados Farmacêuticos;

  • Colaboração na elaboração de protocolos terapêuticos;

  • Participação nos Ensaios Clínicos;

  • Colaboração na prescrição de Nutrição Parentérica e sua preparação;

  • Informação de Medicamentos;

  • Desenvolvimento de ações de formação;

  • Outros.

 

Perspetivas Futuras e Desafios

O farmacêutico hospitalar, no exercício da sua profissão, encontra muitos desafios, nos quais deverá mostrar sempre valor e evidenciado a necessidade do exercício das suas funções.

Com a introdução da carreira de farmacêutico perspetivam-se algumas alterações a longo prazo que poderão vindo a ter impacto no número de profissionais e no escalonamento de serviços.