Perspetiva Histórica

A Distribuição Grossista Farmacêutica representa o elo facilitador do acesso ao medicamento. O início da atividade remonta ao século XVII na suplementação das matérias-primas aos boticários. No século XX, com um uma indústria farmacêutica mais competitiva, o mercado tornou-se mais estruturado e economicamente interessante, abrindo espaço ao surgimento de empresas que, de uma forma organizada, começaram a exercer esta atividade.

A distribuição grossista foi exercida por algumas importantes farmácias da época, como as Farmácias Barral, Estácio e Azevedos, mas com as alterações do quadro sócio-económico e legal, em que se movia a farmácia de oficina, percebeu-se a importância da distribuição farmacêutica para o seu exercício profissional e, também, da sua importância económica, sofrendo uma reestruturação e a criação das Cooperativas.

A Profissão

“O medicamento no local certo e à hora certa”.

Em Portugal, existem 8 empresas de Distribuição Farmacêutica full line  que distribuem produtos farmacêuticos no  valor anual aproximado de 1.7 mil milhões de euros, através dos seus cerca de 30 armazéns.

Responsável por toda a logística do medicamento, assegurando a contínua e atempada disponibilização de produtos nas farmácias e outros estabelecimentos de saúde com elevada qualidade e eficiência.

A atividade profissional é regulada pelo INFARMED e regulamentada pelas normas de Boas Práticas de Distribuição,

 

Perspetivas Futuras e Desafios

É obrigatória a presença do farmacêutico na componente de Direção Técnica, pelo que a sua função pode abranger:

  • Conhecimento profundo da legislação farmacêutica em vigor;

  • Assegurar o cumprimento das Boas Práticas da Distribuição;

  • Controlo de substâncias psicotrópicas/estupefacientes;

  • Controlo de qualidade;

  • Adequação das condições de transporte e armazenamento às especificidades dos produtos.